quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Athletico do Paraná é campeão da Copa do Brasil



Ao derrotar o Internacional por 2 a 1, em pleno Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, o Clube Athletico Paranaense conquistou na noite desta quarta-feira (18) o título de campeão da Copa do Brasil de 2019. É o primeiro título da Copa, criada em 1989, de uma equipe paranaense.

No jogo de ida, em 11 de setembro, na Arena da Baixada, o time paranaense venceu por 1 a 0. Com isso, só precisava do empate para garantir o título em Porto Alegre.

O Athletico chegou perto do título em 2013, quando acabou como vice, após perder a decisão para o Flamengo. O Coritiba foi duas vezes vice-campeão do torneio. O Inter conquistou o título uma vez, em 1992.

Agora, o Athletico soma 31 títulos importantes na história: um Brasileirão, uma Copa Sul-Americana, uma Copa do Brasil, uma ex-Copa Suruga (J.League YBC Levain Cup/Conmebol Sudamericana Championship), uma Seletiva da Libertadores, uma Série B do Brasileiro e 25 estaduais.

Esse foi o terceiro título do técnico Tiago Nunes (foto) no comando do Athletico: Paranaense 2018, Copa Sul-Americana 2019 e Copa do Brasil 2019.

Com a conquista, o Athletico terminou a Copa do Brasil com R$ 64,3 milhões: R$ 2,5 milhões pelas oitavas de final, R$ 3,1 milhões pelas quartas, R$ 6,7 milhões pela semifinal e R$ 52 milhões pela vitória na final.

Além da premiação em dinheiro, o clube paranaense ganhou uma vaga na Copa Libertadores de 2020, direto na fase de grupos, e também tem o direito de disputar a Supercopa 2020, contra o campeão brasileiro de 2019.

Os gols da vitória foram marcados pelo meia Léo Cittadini, que agora soma três gols em 21 jogos pelo clube, e pelo ponta Rony, que tem 7 gols em 32 partidas pela equipe.

Os artilheiros da Copa do Brasil 2019 foram Guerrero (Inter), Pipico (Santa Cruz) e Luciano (Fluminense), com cinco gols cada. O goleador do Athletico na competição foi o centroavante argentino Marco Ruben, com dois gols.

O Athletico repetiu a escalação usada no primeiro jogo da final. Os desfalques eram os mesmos dos últimos meses. O zagueiro Pedro Henrique, os laterais Abner Vinícius e Adriano e o meia Everton Felipe não podem jogar a Copa do Brasil 2019. O lateral-direito Jonathan e o meia Bruno Nazário seguem em recuperação. O zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho cumprem suspensão por doping. O esquema tático foi o mesmo 4-2-3-1 de sempre, com Wellington e Bruno Guimarães como volantes. A linha de três tinha Nikão (direita), Cittadini (centro) e Rony (esquerda).

No Inter, o meia D´Alessandro, 38 anos, era o desfalque, por lesão muscular. Ele foi substituído por Wellington Silva.