sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Acusado de matar ex-prefeito no Paraná se apresenta à polícia; político teve um caso com esposa do acusado



O suspeito de ter matado a tiros o ex-prefeito de Laranjal, na região central do Paraná, se apresentou à polícia na tarde desta quinta-feira (5). O homem foi ouvido na Delegacia de Polícia Civil de Palmital, também na região central do estado.


O ex-prefeito Riolando Caetano foi morto a tiros em uma panificadora da cidade no dia 28 de agosto. O principal suspeito é um servidor da Prefeitura de Laranjal.

A Polícia Civil informou que o homem foi até a delegacia acompanhado de um advogado e confessou ter atirado e matado o ex-prefeito.

Segundo a polícia, o homem disse que matou o ex-prefeito porque ele teria o provocado, dizendo ser pai do filho recém-nascido da companheira do suspeito.

Na sexta-feira (30), a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva conta o homem, conforme a Polícia Civil.

O caso

Seis disparos de arma de fogo atingiram o ex-prefeito Riolando Caetano, de acordo com a criminalística. Testemunhas disseram à Polícia Civil que o suspeito chegou na panificadora e atirou contra o prefeito após uma conversa. Um funcionário também ficou ferido.

Segundo a polícia, o atirador fugiu em um carro da Prefeitura de Laranjal, que foi encontrado horas depois em uma estrada rural da cidade.

Nos depoimentos, as testemunhas disseram ainda que o suspeito e o ex-prefeito eram amigos e frequentavam o local com frequência.

O delegado que acompanha o caso, Marcelo Trevizan, disse dois dias após o crime que trabalhava com a hipótese de crime passional. Segundo o delegado, o ex-prefeito teve um relacionamento com a mulher do suspeito, quando os dois estavam separados.

Riolando Caetano foi prefeito de Laranjal por dois mandados, de 1993 a 1996 e, depois, de 2001 a 2004.


(G1)