terça-feira, 27 de agosto de 2019

Ex-vereador de Nova Tebas é preso em operação do Ministério Público

Ex-vereador, Vaudinei Borgert, preso nesta terça-feira junto com seu pai

Em Nova Tebas, o núcleo de Guarapuava do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), do Ministério Público do Paraná, cumpriu nesta terça-feira, 27 de agosto, cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva contra o ex-vereador, Vaudinei Borgert, e seu pai. O ex-agente político, que chegou a ser preso em novembro de 2018, é investigado no âmbito da Operação Antagônico, do MPPR, que apurou crimes de concussão.


A prisão de hoje ocorreu porque os dois são suspeitos de ameças a testemunhas no curso de processos administrativo e judiciais e falsidade ideológica. Ambos foram denunciados pelas próprias vítimas – entre elas, está um membro da Comissão Processante instaurada pela Câmara Municipal de Nova Tebas para investigar o caso e que também é testemunha nos processos judiciais nos quais o ex-vereador figura como réu. Batizada de Antagônico II, a ação contou com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

As ordens judiciais de busca e apreensão e prisão foram expedidas pelo Juízo Criminal de Manoel Ribas (sede da comarca da qual Nova Tebas faz parte), a pedido do Ministério Público.

Concussão – Deflagrada em novembro do ano passado, a Operação Antagônico apurou que, quando era vereador, Vaudinei Borgert, exigia pagamentos mensais ao prefeito, que variaram entre R$ 1 mil e R$ 3 mil reais, mediante a ameaça de utilizar a prerrogativa parlamentar para difamar a honra do gestor e seu trabalho à frente da prefeitura, além de dificultar o trâmite de projetos de lei de interesse do município.