domingo, 28 de julho de 2019

BARBOSA FERRAZ: Luciano e Miliossi se sustentam e vão polarizar a eleição municipal ?

Professor Luciano e prefeito Miliossi (foto reprodução)

do Claudiney Costa - rato

As próximas eleições municipais em Barbosa Ferraz – 2020 - já está movimentando muitas lideranças em torno dos principais nomes na disputa eleitoral do ano que vem. Chega ao blog informações de que algumas lideranças estão se reunindo para tentar criar um nome, fora dos que estão ai, além dos nomes já lançados e de outros que ainda devem ser apresentados oficialmente, como os pré-candidatos naturais, como é o caso do atual prefeito Miliossi e do professor Luciano Soares de Souza, que ficou em segundo lugar na última disputa municipal.


A verdade é que isso de achar um nome “mágico”, como já dizia um velho conhecido, “não se cria”, não existe tempo hábil para isso faltando pouco mais de um ano para o início da campanha e, apresentar um nome novo leva tempo, demanda muito trabalho e uma relação próxima, de atendimento social e relação social, com o povo em geral, que é quem decide a eleição. Sendo assim, podemos dizer que reuniões agora para tentar esse feito seria um tanto utópico (Vou explicar Utópico, rss, que é um termo relativo a utopia, ou seja, quando determinada ideia ou pensamento é idealista; fantasioso; quase impossível de ser realizado. Utópico pode ser também uma idéia de cidade ideal, no pensamento de alguns).

A realidade é que a política atual está diferente, não se convence mais um simples eleitor, que hoje conhece o valor do seu voto, com papo furado, se convence com ações pessoais, pontuais e diretas; se convence com atuação social, relação pessoal e muito trabalho. Além disso a maioria do eleitorado deve buscar nas próximas eleições um candidato que demonstre essas qualidades, somadas a experiência política, competência política e administrativa. Os sonhadores ficarão de fora, ou desistirão antes mesmo de começar a partida.

O "efeito peneira" vai se dar devido à falta de respaldo eleitoral, problemas de saúde ou familiar, apoio a outras candidaturas ou derrota em disputas internas, ou até mesmo desistência em pleitos anteriores. Isso sem contar as candidaturas lançadas apenas para aumentar o valor do passe de partidos medianos e tentar buscar a famosa “boquinha”, ou vice na majoritária, no grupo mais forte. Ontem um político do município me disse uma frase, “É preciso ter coragem”; isso é verdade, mas não basta ter apenas coragem, é preciso ter coragem e também todas essas qualidades descritas acima e mais algumas.

A realidade é que não se faz mais, nos dias de hoje, política com nome, ou sobrenome, como antigamente. Umas das coisas mais difíceis nos dias atuais, em uma cidade do porte de Barbosa Ferraz, com cerca de 13 mil habitantes e cerca de 9 mil votos aptos, é dentro desta sociedade você existir, ter seu nome conhecido por todos, com isso suscitar a ideia de pô-lo a disposição do eleitorado. Talvez, quem acredita nisso possa ser um sonhador, que não sabe ainda que sonha só. E como não lembrar de Raul Seixas em “Prelúdio”, onde a letra diz exatamente isso, “Sonho que se sonha só, É só um sonho que se sonha só, Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Mas é bom combinar esse sonho com os 9 mil.

Com alguns nomes lançados sobre a peneira, pelo visto ela começa a se mexer, alguns já passaram pelos furos, uns desconhecidos e outros pouco conhecidos na atual realidade local e também quem tenta por toda sorte se agarrar aos furos, sem trabalho próprio para se sustentar sobre a peneira, pode passar pelo furo antes mesmo de abrir a porta do teatro, ficando de fora do espetáculo, não por vontade própria. Não basta só ter vontade.

Como disse acima neste artigo que escrevo nesta manhã de domingo, dia 28 de julho, dia dos nossos agricultores, o maior desafio de ser político é existir, fazer seu nome existir e isso demanda uma luta incansável de quem vive no meio político. Essa vida no meio não se constrói aparecendo apenas em época de eleição, ou quando precisa das lideranças, ou com discurso melancólico de uma paixão mentirosa que não engana 9 mil pessoas com pensamentos distintos e com uma visão nova e diferente de anos atrás, quando a política se fazia com o sobrenome apenas e com um passado que não volta mais. O mundo é implacável, a vida é, as escolhas erradas resultam no pior para todos, a vida segue pra frente, “pra cima e avante”, como diria o Superman, rss.

Edenilson Aparecido Miliossi, atual prefeito municipal, professor Luciano Soares de Souza, disputou a última eleição. Se eles irão polarizar a eleição em 2020, só Deus sabe, mas o fato é que eles são hoje, os mais populares, mais conhecidos entre os 13 mil habitantes do município; o primeiro, Miliossi, por estar no exercício do mandato e ter vencido a última, e o segundo, Luciano, por ser o político que mais se preparou nos últimos anos, tanto no meio social como na política, para ocupar o cargo do executivo. Os dois ainda se sustentam com folga sobre a peneira.