quarta-feira, 5 de junho de 2019

Paraná sem reajuste para servidores - piora da crise impossibilita, diz secretário da Fazenda



Em audiência pública de prestação de contas na Assembleia Legislativa, o secretário de Estado da Fazenda, Renê Garcia Júnior, afirmou nesta quarta-feira (5) que a crise econômica brasileira deve se agravar no segundo semestre, e que por isso, o governo não tem condições de conceder o reajuste aos servidores públicos em 2019. O funcionalismo – que está com os salários congelados desde 2016 – cobra a reposição da inflação dos últimos doze meses de 4,94%.

De acordo com Garcia Júnior, não há perspectiva de melhoria da arrecadação em 2019, o que impediria qualquer aumento de despesa. “A economia brasileira vai ter uma recessão profunda no segundo semestre, crescimento zero. A economia brasileira está em processo de destruição. Isso que ninguém entendeu ainda”, disse o secretário. “Eu seria irresponsável se garantisse nesse momento qualquer incremento na despesa que não estivesse previsto na programação orçamentária”, afirmou.

O relatório da Secretaria da Fazenda sobre as contas do Estado nos primeiros quatro meses de 2019 aponta queda na receita. De acordo com os números oficiais, a receita total do Estado entre janeiro e abril deste ano foi de R$ 16,907 bilhões, o que significa uma queda nominal de 0,8% e real (descontada a inflação do período) de 4,86%, em relação ao mesmo período de 2018.

União – Na audiência de hoje, Garcia Jr confirmou que entre principais os fatores que influenciaram essa queda estão a redução nos repasses do governo federal. Segundo o balanço, as transferências da União caíram de R$ 1,740 bilhão nos primeiros quatro meses do ano passado para R$ 1,568 bilhão no mesmo período deste ano, uma queda nominal de 9,89% e real de 13,58%.