sexta-feira, 14 de junho de 2019

Ônibus bloqueiam ruas, e garagens de empresas de transporte coletivo de Curitiba são fechadas; há paralisação em outras cidades



Ônibus bloqueiam algumas ruas de Curitiba no início da manhã desta sexta-feira (14). Além disso, garagens de algumas empresas de transporte coletivo estão fechadas.

A paralisação é um protesto contra a reforma da Previdência e também atinge outros estados do país.

Frota paralisada

Por volta das 7h, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) informou que 40% da frota de ônibus da capital estava parada e que, na Grande Curitiba, 25% dos ônibus não estavam circulando.

Segundo o Sindimoc, as principais linhas afetadas pela mobilização são:

Santa Cândida/Capão raso
Pinheirinho/Rui Barbosa
Centenário/Campo Comprido

Alimentadores das regiões:


Oeste ‐ Campo Comprido
Norte - Santa cândida, Cabral e Boa vista
Sul - Pinheirinho

Curitiba tem 10 empresas de ônibus. A frota operante total é de cerca de 1,3 mil ônibus e, conforme o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), 1,3 milhão de passageiros usam o transporte coletivo em dias úteis.

A informação da Prefeitura de Curitiba, por volta das 7h, era de 37% da frota era atingida pela paralisação.

Segundo a prefeitura, a orientação das empresas aos cobradores é para não haja cobrança de passagem, pois não há certeza de que os ônibus vão conseguir transitar e chegar ao destino final da linha.

O eixo de integração mais prejudicado, de acordo com a administração municipal, é o norte-sul, atendido por biarticulados. O eixo leste-oeste, no mesmo horário, operava com 50% da frota.

Bloqueios de ruas

Manifestantes bloquearam algumas ruas e estradas na cidade. No começo da manhã, ônibus do transporte público trancaram a saída de terminais.

Às 8h, a BR-376, no trecho do Contorno Sul, no bairro CIC, a rodovia foi totalmente bloqueada nos dois sentidos.

Região norte

Em Londrina e em Maringá, na região norte do Paraná, ônibus também estão parados.

O bloqueio da garagem da TCGL, que detém 85% da frota de 430 ônibus de Londrina, é total. Na empresa Londrisul, responsável por 15% da frota, não há bloqueio, e os ônibus rodam normalmente.

Mais de 150 mil pessoas usam, por dia, o transporte coletivo em Londrina.

Campos Gerais

Em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, houve tentativa de bloqueio de garagem de ônibus durante a madrugada. Mas, por volta, das 6h30, a frota estava circulando normalmente.


G1 Paraná.