quinta-feira, 23 de maio de 2019

BARBOSA FERRAZ - Centenas de fiéis participam da romaria de Santa Rita de Cássia



Ontem (22), feriado municipal em Barbosa Ferraz, a Igreja Católica celebrou o Dia de Santa Rita de Cássia e o santuário Santa Rita de Cássia de Barbosa Ferraz recebeu centenas de fiéis durante todo o dia e principalmente na chegada da romaria, como acontece há vários anos. Novenas em homenagem a Santa Rita foram realizadas desde o dia 13 deste mês.

(Foto: Bianca Segati/ Facebook)
A romaria, de 33 quilômetros de Quinta do Sol a Barbosa Ferraz, teve início as 05h30 da madrugada com os romeiros saindo em ônibus até Quinta do Sol e de lá retornando a pé por estradas rurais. Os cavaleiros se deslocaram, por estradas rurais, atravessando o Rio Corumbataí, com destino ao santuário em Lunardelli, quase 100 km ida e volta, de onde retornaram também ontem, chegando junto com os caminhantes e se aglomerando no estacionamento da Amiagro e em seguida seguindo em direção ao Santuário, por volta das 16h, quando foi feita a benção dos pedestres e cavaleiros. 

A missa das rosas, que encerrou as comemorações, aconteceu às 19h no Santuário e reuniu centenas de fiéis, de Barbosa Ferraz e outras várias regiões do estado. A missa foi celebrada pelo Bispo Diocesano Dom Bruno Elizeu Versari. Durante todo o dia era esperado cerca de 8 mil pessoas no Santuário Santa Rita de Cássia.


História de Santa Rita

Nascida na Itália, em Cássia, no ano de 1380, seu grande desejo era consagrar-se à vida religiosa. Mas, segundo os costumes de seu tempo, ela foi entregue em matrimônio para Paulo Ferdinando. Tiveram dois filhos, e ela buscou educá-los na fé e no amor. Porém, eles foram influenciados pelo pai, que antes de se casar se apresentava com uma boa índole, mas depois se mostrou fanfarrão, traidor, entregue aos vícios. E seus filhos o acompanharam.

Rita então, chorava, orava, intercedia e sempre dava bom exemplo a eles. E passou por um grande sofrimento ao ter o marido assassinado e ao descobrir depois que os dois filhos pensavam em vingar a morte do pai. Com um amor heróico por suas almas, ela suplicou a Deus que os levasse antes que cometessem esse grave pecado. Pouco tempo mais tarde, os dois rapazes morreram depois de preparar-se para o encontro com Deus.

Sem o marido e filhos, Santa Rita entregou-se à oração, penitência e obras de caridade e tentou ser admitida no Convento Agostiniano, em Cássia, fato que foi recusado no início. No entanto, ela não desistiu e manteve-se em oração, pedindo a intercessão de seus três santos patronos – São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolas de Tolentino – e milagrosamente foi aceita no convento. Isso aconteceu por volta de 1441. Morreu com 76 anos, após uma dura enfermidade que a fez padecer por 4 anos.