terça-feira, 16 de abril de 2019

GREVE - Agentes penitenciários protestam e definem paralisação no dia 29 de abril

Foto: Divulgação Assessoria Sindarspen

Agentes penitenciários do Paraná estão reunidos nesta terça-feira (16) em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, em Curitiba, para pedir melhores condições de trabalho nos presídios do estado. A categoria realizou uma assembleia no local para definir um plano de ação para que estas necessidades sejam atendidas e também foi definida a paralisação convocada para o dia 29 de abril.

De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), desde 2010, o número de presos nas penitenciárias do Paraná subiu de 14 mil para 21 mil, enquanto o número de agentes caiu. Das 4.131 vagas na carreira de agentes, atualmente, apenas 3.098 estão ocupadas. Além disso, para atender a demanda, há a necessidade de mais 6.400 vagas na carreira de agente penitenciário, segundo estimativas do próprio Departamento Penitenciário do Paraná (Depen).

As movimentações diárias dentro da unidade penal serão suspensas. Os agentes estarão presentes, mas só vão agir para alimentação dos presos ou caso exista alguma emergência médica ou alvará de soltura. Ou seja, atividades como atendimento jurídico, banho de sol e médico não serão realizadas.

Além disso, segundo a assessoria do Sindarspen, foi solicitada uma reunião com Secretário de Segurança, Luiz Felipe Kraemer Carbonell, que confirmou a reunião para às 14h30.

Melhores condições de trabalho e mais segurança para a sociedade

Nos últimos dois meses, uma comissão foi criada pelo Depen para debater a regulamentação com representantes do governo e dos Sindicatos de Agentes e de Servidores do Sistema Penitenciário (SINSPP). O resultado desse trabalho, concluído no último dia 11, será encaminhado para a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SESP), que fará os trâmites dentro do governo com as Secretarias de Administração e Previdência (SEAP) e da Fazenda (SEFA), além da Casa Civil.

Os servidores devem permanecer na Praça Nossa Senhora de Salete durante todo o dia. Pela tarde, vão percorrer os gabinetes dos deputados estaduais entregando material informativo sobre a necessidade da regulamentação. Para ser implantado, o projeto tem que ser aprovado na Assembleia Legislativa.

(Inf. Paraná Portal)