quarta-feira, 13 de março de 2019

Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Guarapuava é condenado a 12 anos e 10 meses de prisão como mandante de tentativa de homicídio

(Foto divulgação - Hercules Folador)

O ex-vereador, Admir Strechar, que foi presidente da Câmara Municipal de Guarapuava entre 2009 e 2011 foi condenado pelo Tribunal do Júri nesta segunda-feira, 11 de março, por ser considerado mandante do crime de tentativa de homicídio qualificado (por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima) contra um cabo eleitoral do acusado nas eleições de 2002.

O crime teria sido cometido em razão de uma dívida que o acusado se recusou a pagar à vítima, contra a qual já tinha proferido diversas ameaças de morte para não ser cobrado, ameaças que acabaram se concretizando no dia 27 de outubro de 2002 – quando o réu já era vereador. A acusação, feita pela 10ª Promotoria de Justiça de Guarapuava, foi integralmente acolhida pelos jurados.

O ex-vereador foi condenado a 12 anos e 10 meses de reclusão em regime inicialmente fechado e já está preso, cumprindo pena de mais de 60 anos de prisão, resultante de outras condenações por crimes contra a administração pública. Em 2011, ele foi um dos alvos da Operação Fantasma, realizada pelo núcleo de Guarapuava do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que investigou diversas irregularidades no Legislativo Municipal durante a gestão do ex-presidente.