segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Eleitos da “bancada da bala” no Paraná querem tirar presos de delegacias e reforço das polícias

Fonte: Gazeta do Povo


A avalanche de votos em candidatos representantes das forças de segurança, tanto para o Senado como para a Câmara dos Deputados, também ocorreu na disputa pelas vagas às assembleias legislativas.


No Paraná não foi diferente do resto do país. Nove das 54 vagas do legislativo paranaense serão preenchidas por integrantes das forças de segurança, a chamada “bancada da bala”, o que representa 17% do legislativo estadual. O PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, elegeu o maior número, mas há eleitos do PV, PR, PROS, PPL e PSD.

A maioria dos integrantes da bancada da segurança vai exercer mandato pela primeira vez. Coronel Lee (PSL), Delegado Fernando (PSL), Subtenente Everton (PSL), Soldado Adriano José (PV), Delegado Jacovos (PR) e Soldado Fruet (PROS) são iniciantes na política partidária. Dois foram reeleitos, o Delegado Rubens Recalcatti (PSD) e o policial federal Márcio Pacheco (PPL). O campeão de votos, Delegado Francischini (PSL), é atualmente deputado federal e a partir de 2019 vai para a Assembleia.

“Esse grupo vai defender questões relacionadas à segurança, apresentar projetos e cobrar medidas do governo. E também será firme na fiscalização, tanto na execução de projetos como dos gastos realizados pelo governo”, diz Delegado Jacovos, que é delegado regional no Vale do Ivaí, com atuação em 26 municípios.

Quando o assunto é prioridade, há praticamente unanimidade de que a questão das delegacias lotadas de presos e a falta de estrutura para as polícias são consideradas urgentes.

“Aqui no Paraná os principais pontos são a retirada dos presos das delegacias, o fortalecimento da Polícia Militar e da Polícia Civil – nas questões de efetivo e de estrutura –, além da segurança jurídica da atividade policial”, aponta Delegado Fernando, que há 15 anos trabalha na região de Umuarama.

Seu futuro colega de Legislativo, Delegado Jacovos concorda com esses pontos. “A polícia nunca pode estar com déficit nos seus quadros. Hoje, a Polícia Civil do Paraná só tem 50% do que é necessário nos seus quadros. Estamos há 10 anos sem concurso para a polícia civil. Isso mostra que o estado não está realmente cuidando da segurança pública de forma adequada. Na Polícia Militar eu não tenho números exatos, mas garanto que falta efetivo. Essas são questões imediatas para serem resolvidas”, diz.

Um dos problemas que o grupo vai enfrentar é a escassez de recursos. “Nós sabemos que muitos problemas, para serem resolvidos, precisam de dinheiro e isso gera aumento de despesa. Então vamos ter que trabalhar com o governo, fazer o governo entender da necessidade de apresentar uma proposta de lei. Um exemplo é a retirada dos presos das cadeias. Não é só com uma canetada, tem que se criar uma estrutura para transferir esses presos. Hoje tem mais de seis mil presos nas delegacias e não há vaga no sistema penitenciário. Nós vamos ter que negociar com o governo, buscar soluções”, pondera Delegado Fernando.
Os eleitos da Bancada da Segurança (“Bancada da Bala”) para a Assembleia Legislativa do Paraná

Delegado Francischini (PSL) Delegado Federal

Coronel Lee (PSL) Policial Militar

Delegado Fernando (PSL) Delegado da Policial Civil

Subtenente Everton (PSL) Subtenente do Exército

Delegado Rubens Recalcatti (PSD) Delegado da Polícia Civil

Soldado Adriano José (PV) Policial Militar

Delegado Jacovos (PR) Delegado da Polícia Civil

Soldado Fruet (PROS) Policial Militar

Márcio Pacheco (PPL) Policial Federal