domingo, 18 de novembro de 2018

Vale do Ivaí: Ex-prefeito é condenado a mais de 13 anos por estupro de vulnerável

por Claudiney rato, às 15h16min | 18/11/2018

Bellini também atuou como radialista e era comum realizar sorteios de prêmios envolvendo crianças e adolescentes

Anunciado nesta semana, a justiça da comarca de Mandaguari condenou o ex-prefeito do município de Cambira, Sidney Bellini, 66 anos de idade, que já está preso desde Dezembro de 2017. Bellini é acusado de abusar sexualmente de uma menina de 13 anos em um motel na cidade de Mandaguari, na noite do dia 14 de dezembro de 2017. No dia seguinte ele foi preso e ficou comprovado que teria pago R$ 50,00 a menina. O prisão pelo crime de estupro de vulnerável foi realizada pela Delegada Luana Lopes, da Delegacia da Mulher de Apucarana, com apoio da PM de Mandaguari. Na época o Delegado chefe de Apucarana e atual deputado estadual eleito, José Aparecido Jacovós, declarou a imprensa que Bellini se tratava de um maníaco sexual.

O caso veio a tona depois que a mãe da adolescente descobriu o envolvimento da filha com o ex-prefeito, que enviou mensagens para o celular da mãe, achando que seria a menina. Bellini negou que teria mantido relação sexual com a menor e apenas teria feito carícias, mas câmeras de segurança de um motel de Mandaguari flagraram o ex-prefeito saindo do local com a menina.

A Juíza, Angela Karina Chirnev Pedotti Audi, da Vara Criminal de Mandaguari, sentenciou Bellini no último dia 5 de novembro a pena de 13 anos e 9 meses de prisão, inicialmente fechados. A decisão só foi divulgada nesta semana.

Preso há quase um ano o ex-prefeito prefeito está recolhido em uma cela no mini presídio de Apucarana, com outros 25 presos acusados do mesmo tipo de crime. Ainda segundo informações, este não é o único caso envolvendo Bellini em abusos sexuais e após a prisão novas denúncias apareceram e ele se tornou réu em outras ações, que caso seja condenado novamente pode ter a pena aumentada e ter que passar longos anos atrás da prisão.

Bellini está preso, junto com outros 25 presos, em uma cela (imagem) no presídio de Apucarana