quarta-feira, 7 de novembro de 2018

De surpresa, Senado vota aumento para o STF e salários chegarão a quase 40 mil

Plenário do Senado Federal (centro) durante sessão deliberativa extraordinária no Senado na segunda-feira (5) - foto: Edilson Rodrigues

O Senado pode aprovar nesta quarta-feira (7) projetos de lei que aumentam o salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33 mil para R$ 39 mil.


O que é pago para os integrantes da mais alta corte do país é o chamado teto constitucional, estabelecendo que nenhum funcionário público pode ganhar mais do que esse valor. E o reajuste cria um efeito cascata na esfera pública, já que algumas categorias tem suas remunerações atreladas às dos ministros.

Em entrevista à coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) afirmou que essa seria a primeira pauta-bomba armada para o governo de Jair Bolsonaro (PSL).

“Não se trata de um busca-pé. É um míssil Exocet.O impacto nas contas públicas nacionais será de cerca de R$ 6 bilhões por ano. É uma covardia com o povo brasileiro”, afirma.

A proposta foi aprovada na Câmara e estava parada na Comissão de Assuntos Econômicos desde 2016. Ferraço relatou a proposta e votou contra o aumento.

Na noite de terça (6), o presidente do Senado, Eunício de Oliveira (MDB-CE), colocou em votação no um requerimento pedindo a inclusão dos dois projetos na pauta do Senado ainda nesta quarta (7). A iniciativa pegou de surpresa e contrariou vários senadores.