quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Polícia Civil de Barbosa Ferraz desvenda crime de tentativa de homicídio e cumpre mandado na região de Maringá



A ação da Polícia Civil de Barbosa Ferraz, com apoio de policiais civis de Paiçandu e Maringá, aconteceu na divisa entre os municípios de Maringá e Paiçandu, em cumprimento a ordem judicial expedida pela Justiça da Comarca de Barbosa Ferraz. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão, situação que envolve uma tentativa de homicídio ocorrida em dezembro de 2016, na área rural de Corumbataí do Sul.




De acordo com as informações do Delegado de Barbosa Ferraz, Dr. Carlos G. Stecca, durante o cumprimento do mandado os policiais apreenderam um revólver calibre 38, com numeração raspada, munições e outros elementos de provas que serão anexados ao inquérito que investiga a tentativa de homicídio contra Giovani Fidelino, em dezembro de 2016, quando ele trafegava com uma moto por uma estrada rural na região do bairro Souza Leão, sentido Corumbataí do Sul e foi alvejado por três disparos de arma de fogo, que atingiram sua barriga e perna. O atirador se evadiu em uma moto e não foi localizado. A vítima foi levada em estado grave para o Hospital Santa Casa de Campo Mourão, mas depois de passar por cirurgia se recuperou dos ferimentos.

Delegado Dr. Carlos - crime desvendado

Ainda segundo informações do Delegado, as investigações estão praticamente encerradas com o crime já desvendado, inclusive identificados todos os envolvidos, tanto o atirador quanto o mandante.

Os investigadores da Polícia Civil de Barbosa Ferraz descobriram que essa tentativa de homicídio estaria diretamente relacionada (vingança) com um assassinato ocorrido em junho de 2016, na área rural de Ourilândia, quando o agricultor, Galdino Gonçalves da Silva, 71 anos, foi morto a tiro pelo genro, Giovani Fidelino - vítima da tentativa de homicídio, seis meses após matar o sogro -.

O mandado judicial de busca e apreensão foi cumprido na manhã desta terça-feira (31), e a arma, munições e objetos apreendidos foram trazidos para a Delegacia de Polícia Civil de Barbosa Ferraz.

O assassinato - Genro mata sogro - 



Um desentendimento motivado por divisa de terras em Barbosa Ferraz acabou em tragédia, envolvendo sogro e genro. A vítima foi o agricultor Galdino Gonçalves da Silva, 71 anos, sogro de Giovani Fidelino, 45. Após discutirem em uma estrada rural, a cerca de 100 metros da casa de Giovani, ele foi até a residência, pegou uma arma e atirou no pescoço de Galdino, que morreu no local. O crime ocorreu por volta das 14 horas de sábado (11/06/2016), na região do distrito de Ourilândia, em Barbosa Ferraz.

O agricultor estava em cima de um trator, quando foi atingido e morto. A própria filha de Galdino, casada com o suspeito do crime, o apontou como autor do disparo. A mulher relatou que após os dois discutirem na estrada, Giovani foi até a casa, pegou um revólver que estava embaixo de um colchão, voltou ao local e matou seu pai. Depois do crime o atirador ainda teria voltado para a casa e falado para a companheira que ela deveria ficar tranquila porque ele havia feito a coisa certa.

Giovani fugiu em seguida com uma motocicleta Honda CG 150 de cor vermelha, placa AMV 5523. Segundo informações de uma testemunha, os dois viviam se desentendendo mesmo antes da união de Giovani com a filha da vítima. O acusado se apresentou à polícia quatro dias após e responde o crime em liberdade.

Versão do genro –

De acordo com o advogado de Giovani, ele vinha sofrendo vários insultos e ameaças do sogro, inclusive de cunho racista, o que resultava em muitos desentendimentos entre eles. Isso tudo, antes mesmo do rapaz começar a namorar a filha da vítima. Depois que o casal iniciou o relacionamento e foi morar junto, segundo o advogado, a pressão aumentou por parte de Galdino, que teria até expulsado a filha de casa, jogando suas coisas para fora. No dia do crime, ainda segundo ele, o sogro teria tentado o atropelar com o trator. Para não ser atingido pelo veículo, Giovani disse que se atirou sobre uma cerca, ficando com ferimentos em uma das pernas. Após isso ele disse que pegou um revólver e disparou contra o sogro, que morreu em cima do trator, em uma estrada, a cerca de 100 metros da casa do agressor. Giovani e o advogado também apresentaram a arma usada no crime, um revólver calibre 38, além de cinco munições intactas.